Ensino Fundamental Anos Finais


O Folclore Brasileiro através dos versos de Cordel

O Projeto “O Folclore Brasileiro através dos versos de Cordel” coordenado pela Professora Luzia Silva com o apoio da Biblioteca do Colégio Nossa Senhora das Dores envolveu os alunos dos 1ºs aos 8ºs anos do Ensino Fundamental.

O folclore brasileiro é muito rico e a partir deste projeto foi possível abordar o Cordel, forma poética de se trabalhar diferentes aspectos do cotidiano e fenômeno que é muito forte no Nordeste e que reflete uma característica marcante da literatura folclórica. “E nada mais apropriado que se trabalhar com os alunos como é construído um cordel, sua história e sua influência na nossa cultura brasileira, tanto nas aulas de História quanto de Literatura”; explica a Historiadora Luzia.

A culminância do projeto se deu com a apresentação da peça “Cordel Sustentável” do Grupo de Teatro “No Mi” de Uberlândia no Centro de Convenções CNSD e também com a exposição na Biblioteca do colégio de livros de Cordel escritos pelos alunos.

Cordel Sustentável
Ô de casa
Pedimos licença
Amigos fiquem atentos
A nossa presença

Vamos fazer um apelo
Do fundo do coração
Falando pra nossa gente
Que é preciso atenção
Destruindo a natureza,
Acabamos com a nação!

Quem é consciente
Com a natureza é afável
Não depreda o meio ambiente
Com a fauna é amigável
E luta para conseguir
O desenvolvimento sustentável.

O homem por atitude
Sempre foi um predador,
Que não dá ouvidos
Aos gritos da natureza
Gritos de dor e lamento
Maltratamos quem nos dá
Moradia e sustento!

Para educar o nosso povo
Aqui vai esses versos de cordel
Esperando que estas palavras
Não fiquem presas ao papel
E que o Brasil não se transforme
Numa torre de Babel!

Neste mundo tão conturbado,
Virou moda a ecologia,
Mas muitos não sabem nada
Fazem do assunto uma orgia,
Ser ecologicamente correto
É exercer cidadania!

Conhecemos pela mídia
Toda miséria do mundo,
Ferimos nossa terra
No que tem de mais profundo
E ela nos fere em troca,
E quando quer, fere bem fundo!

Geadas no Sul
Grandes secas no Nordeste,
O clima ficou doido
É chuva demais ou um calor da peste,
E cada vez mais carros
Poluindo o sudeste!

Já surgiram as tsunames
As secas e furacões,
As tempestades de gelo,
Terremotos e tufões,
A extinção de animais
Como araras e mico leões!

Por isso digo em bom tom
Sem medo nem precaução
Em matéria de holocausto
O homem já é campeão
E um dia nós não teremos
Nem madeira pro caixão!
Se toda a população
De maneira viável
Transformar parte do lixo produzido
Em material reciclável
Não teríamos tanta sujeira,
Situação lamentável.

As futuras gerações
Com nossas ações irão sofrer
Se não preservarmos hoje
Muita coisa vai morrer
Não teremos no futuro
A alegria de viver.

Esperamos que esse cordel
Abra seus olhos pra lutar
Pelo meio ambiente
Que precisamos cuidar
Faça parte dessa tropa
nossa missão, é preservar!

Missão dada!
Missão cumprida!
O desenvolvimento sustentável
É coisa muito bem vinda.

23/10/15 [Projeto]


Share |