Projeto Escola de Pais aborda o tema “Tecnologia e Existência: os desafios da educação”. - Notícias

Notícias

Projeto Escola de Pais aborda o tema “Tecnologia e Existência: os desafios da educação”.

No último dia 26, o Colégio Nossa Senhora das Dores promoveu a 1ª Escola de Pais de 2017. O projeto ‘Escola de Pais’ criado em 2000, visa orientar a família a lidar com os filhos e ajudá-la na indagação de como criá-los corretamente. As reuniões acontecem semestrais com profissionais da cidade e região que abordam temas como a educação de filhos e assuntos afins.

Breno Augusto da Costa é Psicólogo e foi o palestrante convidado neste primeiro semestre. Formado pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro em 2015, Acadêmico bolsista do Programa de Educação Pelo Trabalho para a Saúde - PET Saúde (2012-2014) e membro-fundador da Liga Acadêmica de Fenomenologia Existencial, falou sobre “Tecnologia e Existência: os desafios da educação”.

Confira abaixo o texto escrito pelo palestrante:
“Nas últimas décadas a produção tecnológica alcançou um novo patamar quantitativo e qualitativo. Devido sua grande presença na existência do ser humano ela tem se tornado uma fonte de desafios e reflexões; atualmente nos questionamos quais são os limites para o uso benéfico da tecnologia e como a tecnologia se apresenta em relação à educação de nossos filhos. Discutir estas questões é relevante para fornecer orientações acerca da educação dos filhos em face da “era tecnológica”. Diante do exposto, o objetivo desta palestra foi discutir a presença da tecnologia na existência e os desafios emergentes na prática educativa dos pais. Em primeiro lugar é preciso definir a nossa existência, que aqui compreendemos como a essência do ser humano, ou seja, aquilo que o caracteriza. Tentando englobar todos os aspectos deste ser que não é apenas biológico, mas também espiritual, podemos dizer que a existência humana é a possibilidade de indeterminação quanto ao futuro, é a possibilidade de se construir a cada instante, sendo assim o humano não apenas existe, mas produz a própria existência. Neste processo de produção da sua existência, o trabalho, dito de forma ampla, desempenha um papel fundamental, pois é através dele que vencemos as forças hostis da natureza. O ser humano, porém, sempre atua socialmente, e através da cultura passa de geração para geração seus conhecimentos de como vencer essas forças: é aí que surge a ação técnica, a ação humana qualitativamente aprimorada graças ao acumulo cultural. A tecnologia pode ser definida como a concretização da técnica em algum instrumento ou maquinismo. A princípio, portanto, o humano sempre esteve numa era técnica, pois a técnica sempre esteve presente na sua existência, o que mudou nos tempos de hoje é a produção que se apresenta qualitativa e quantitativamente diferente. Isto traz grandes implicações para a educação, pois esta, sendo o processo de formação de um membro da sociedade de acordo com a imagem e interesses desta, envolve necessariamente discutir o papel da tecnologia. Algo interessante de assinalar é o papel de “a gente” e a tecnologia, pois “a gente”, de acordo com a filosofia existencialista, é a forma como nos encontramos cotidianamente, sendo influenciados pelos interesses e comportamentos sociais e esquecendo de viver uma vida autêntica. “A gente” nos leva a buscar as novidades do cotidiano, as trivialidades, sem uma reflexão profunda do papel delas na nossa existência e o que elas podem acrescentar ao nosso espírito. Em si a tecnologia deve ser vista como um instrumento neutro: o bom ou mau uso depende do ser humano. Diante disso podemos concluir que a tecnologia sempre esteve presente na existência do ser humano, porém hoje as mudanças quantitativas e qualitativas da produção tecnológica fazem-na aparecer com um caráter marcante. Os pais devem manter como referência os bons padrões éticos e morais na educação dos filhos e o ensino de que a tecnologia será boa ou ruim de acordo com o próprio uso que fizermos dela. A tecnologia pode apresentar-se como instrumento benéfico para a educação de nossos filhos quando ela ser capaz de ajudar na busca pela realização das finalidades que propomos, especialmente se essas finalidades forem orientadas pelos bons padrões éticos e morais.

01/06/2017 [Projeto]


Share |